sábado, 24 de outubro de 2009

Manifesto de Apoio à CPMI do MST

Peço que leiam, sugiram emendas ou assinem. Mandaremos uma cópia digital a cada parlamentar, seja deputado federal ou senador. Se os intelectuais lançaram um manifesto contra a CPMI, nós, cidadãos comuns, brasileiros, podemos nos manifestar a favor e devemos fazê-lo:


Contra a violência no campo e a apuração profunda dos desmandos

Podemos não concordar com o ritmo da Justiça em nosso país ou com as sentenças proferidas, mas temos que respeitar a instituição em suas mais diversas instâncias e acatar o que for decidido por nossos magistrados. As Leis em vigor dão a cada cidadão o direito de recorrer cada vez que sentir-se prejudicado diante da resolução de um magistrado, cabendo ao cidadão tomar conhecimento desses direitos e procurar o auxílio de advogados e/ou promotores para ver restabelecida a justiça a seu favor.

As instituições brasileiras são sólidas, mesmo quando precisam de reformas ou mesmo de mudanças profundas, não são propriedades de grupos, classes, pessoas ou entidades, são propriedades públicas e republicanas com a finalidade e a prática de representar a cada brasileiro de igual forma. Podemos protestar contra elas, é também direito do cidadão, mas não desrespeitá-las e nos arvorarmos como os detentores dos poderes atribuídos a elas, seja individualmente, seja em grupo.

Vermos um grupo desordenado, que sequer tem registro público como pessoa jurídica, como o Movimento dos Sem Terra, assaltar órgãos públicos como a EMBRAPA, destruindo anos de pesquisa, desrespeitando os cientistas e estudantes, além da sociedade que contribui com seus impostos e espera colher frutos das pesquisas que banca, simplesmente por discordar dos objetos de estudos, como se fosse ele, o MST, o delegado de toda a sociedade, para decidir o que deve ou não ser pesquisado; ver as invasões sistemáticas a propriedades privadas com as mais diversas alegações, sejam de que tais terras são improdutivas ou que foram ilegalmente ocupadas por essa ou aquela empresa, por esse ou aquele empresário, causa em boa parte da população a sensação de que um dos três Poderes constitucionais está sendo apossado por grupo capitaneado por homens secretos que no escuro de seus escritórios decidem os rumos da política rural.

Há muito o MST vem desmandando sem incômodo, invadem, destroem e matam sem punição; recebem alimentação, transporte e ajuda de custo do Estado sem contra-partida e a fundo perdido; age com livre acesso a organismos públicos como se fosse formado por autoridades constituídas e decidem suas ações à revelia da autoridade constituída; destrói sem a obrigação de restituir aqueles a quem lesou; desloca-se sem que os órgãos estaduais e federais de informação dêem conta à população civil de sua constituição física, fontes de financiamento, planos de ação imediatos... Sem incômodo, tornou-se um organismo paralelo ao Estado que decide, ou tenta, as regras e caminhos que devem ser dados à política agrária, ao agronegócio, à reforma agrária e às verbas a serem empregadas nisso tudo.

Como cidadãos e contribuintes ao erário, nós, abaixo assinados, apoiamos a criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito para a investigação profunda sobre as ações, estrutura física, fonte(s) de renda, caracterização legal e tudo o mais que se refira ao Movimento dos Sem Terra.

Não somos contra a reforma agrária, muito pelo contrário. Essa é uma necessidade secular em nosso país, mas que ela seja feita com responsabilidade e ordem para que o progresso se dê com equilíbrio e não de forma voluntariosa, mentirosa e falha de apenas um dos lados envolvidos na questão. Não podemos admitir que a res pública seja vilipendiada e comandada por uma entidade ilegal ou em sua intenção. É inadmissível, por exemplo, que existam “sem terra” profissionais, que vivam da revenda de títulos adquiridos na reforma agrária, ou que haja uma milícia armada dentro do “movimento” ou que os dirigentes deem ordens que recairão em violência e se escondam covardemente no anonimato, usando seus partidários como escudo e não sejam punidos.

No momento em que intelectuais de outros países da América Latina lançam um manifesto de apoio ao MST e repudiando a criação de uma Comissão para investigá-lo, o incômodo se instala entre nós. Se o MST é um grupo brasileiro, de ação em terras brasileiras, por que cidadãos de outros países entram prontamente em sua defesa, ou melhor, defendendo o direito ao sigilo de suas ações nem sempre legais? Há uma orquestração internacional por trás dos atos do MST? Isso também deveria ser objeto de investigação, além de muitos outros itens que as próprias investigações elencarão.

Se há desmando e ilegalidade nos atos de empresas e pessoas físicas que não do MST nos campos brasileiros, que os organismos oficiais e a Justiça investiguem, acusem, julguem e punam, não um grupo que, volta e meia, apresenta traços de grupo paramilitar, e sem sequer inscrição na União como Pessoa Jurídica faças as vezes de polícia, ministério público, judiciário e executor das penas. Queremos transparência e esta poderá iniciar-se com o próprio MST abrindo sua caixa preta ou permitindo que as autoridades parlamentares acessem seus porões e corredores sob a luz da verdade, levando a toda a sociedade brasileira o que é segredo bem guardado e que nos deixa com a sensação de que algo ilegal se esconde por trás de sua bandeira vermelha, suas foices e facões.

Convidamos a todas as entidades e cidadãos brasileiros a se engajarem nesse movimento pela verdade e pela transparência de todos os grupos de ação social, não no intuito de discriminá-los ou puni-los, muito pelo contrário, mas para apoiá-los sabendo como, porque e onde funcionam, quem os financia e com que propósito. A começar pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

Marcos Pontes

31 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Por lei, é vedado o financiamento de movimentos sociais (MST) que invadem imóveis rurais ou bens públicos e, caso issso seja identificado, a transferência ou repasse dos recursos públicos deve ser interrompido.(do Site Contas Abertas)
    "mst invade a fazenda "Crutale" em São Paulo Brasil destruindo 7 mil pés de laranjas 28 tratores e casas de colonos trabalhadores da fazenda bens pessoais e dos imóveis foram séariamente danificados, depósitos de defensivos insumos e equipamentos roubados" (imprensa,tv blogs e edições intenacionais noticiaram amplamente o fato).
    Como dito no Blog defendo a legalidade nada nada contra o movimentos dos sem terras MST a questão é o descumprimento da lei no país que começa tomar rumo de alto risco e de difícil contrôle.
    Abraço e boa sorte a nosso povo e ao nosso país Brasil e a lei acima de todos sem distinção.

    ResponderExcluir
  3. De pleno acordo! Interessante fazer um raio x
    de quem também, tem acesso ao MST e as suas políticas.

    ResponderExcluir
  4. A lei tem que ser para todos. O MST recebe atravéz de ONGS diversas, recursos públicos e portando passível de prestação de contas. Temos que apoiar a CPMI, apesar de sabermos que o trator governista vai tentar usar todos artifícios para que não se apure nada. Mas fica aqui o nosso apoio. QUEM NÃO DEVE NÃO TEME.

    ResponderExcluir
  5. Concordo em género número e grau com a materia do
    Marcos.
    assino e apoio

    ResponderExcluir
  6. Deveríamos tentar organizar um movimento -como eles gostam tanto de denominar- para propor uma Ação Civil Pública contra o financiamento/sustento descontrolado de ONGs que repassam US$ para esses bandos de baderneiros.

    A ressaltar que essa baderna é orquestrada para simular movimentos sociais, a fim de que alguns faturem muito individualmente, mas para que, principalmente, petralhas de diversas posições consolidem lideranças em certas regiões desprovidas de observação pela mídia, nas quais se cala a força as vozes discordantes.

    Áreas extensas e remotas "deste país" estão sendo dominadas por bandidos apoiados pelo "puder", visando perpetuar para uso e alimento de intelectualóides um falso esquerdismo de terceira

    ResponderExcluir
  7. Apoiado! Estamos rumo a solução, que é apenas uma. A união de todos despidos da vaidade e orgulho.

    Armados até os dentes, nossa principal munição é a comunicação instantanea e muita vontade.

    AGORA! Não podemos nos deixar destrair com eventuais 'cortina de fumaça', enquanto aos poucos, vão tentando nos tirar nossa liberdade, de estadão.

    http://bit.ly/3ZzxIz

    Em frente!
    .

    ResponderExcluir
  8. Concordo em gênero,número e grau. Vou colocar um link na MPHP para dar minha modesta ajuda. Absurdo esse manifesto internacional, torna ainda mais necessária essa CPI.

    ResponderExcluir
  9. Não há como ficar em desacordo com um movimento de apoio a Justiça. O estado de Direito estabelece que todos são iguais perante a Lei. Registro o meu apoio.

    ResponderExcluir
  10. Totlmente apoiado .
    Temos que dar um basta ,neste movinento que está fora de controle no nosso páis .
    E contando com apoio deste governo que temos . PT fora e fim do MST

    ResponderExcluir
  11. Uma fiscalização pela transparência de movimentos como estes(principalmente este - MST) para busca de necessidades verdadeiras e não bagunças,entre algumas orquestradas por políticos.

    ResponderExcluir
  12. Passou da hora de se tomar providências contra tantas arruaças. Basta! Chega!

    ZazaSampaio

    ResponderExcluir
  13. Assinar até posso, porque concordo com as afirmações sobre esse movimento clandestino que tem recebido milhões de reais em verba para promover ações de banditismo. Discordo do texto quando afirma que "as instituições brasileiras sâo sólidas" e acho que são propriedade de grupos, servem a eles e daí a origem da maioria dos nossos problemas.
    Contrapor uma posição de meia dúzia de intelectuais acho inócua. Foram esses mesmos intelectuais que criaram o "monstro" Lula, portanto, o pensamento deles para mim é nulo. Também não vejo sentido endossar apoio a uma CPMI que já nasceu de uma receita de pizza: dois terços são controlados pelo governo. Vão discutir o que? Cadê a CPI da Petrobrás? Todas acabam em pizza.
    Acho bacana e midiático um ato desses, mas totalmente infrutífero e não é por aí que vamos resolver as questões que, efetivamente, precisam ser resolvidas. Vejo como única alternativa para a solução dos nossos problemas a mudança de ao menos 70% do atual Congresso. Temos que aposentar os papais e seus filhinhos que estão há anos fazendo a mesma coisa - nada! Só fazem algo em seus próprios benefícios. Sem mudar esse quadro vamos continuar a bater em vão nas mesmas teclas. O resto é historinha para ninar criança.

    ResponderExcluir
  14. Quem invade e depreda propriedades alheias é criminoso e portanto deve ser tratado como tal!!
    Sou totalmente favoravel a CPMI para investigar esses grupos e seus financiadores..
    Vera Lucia Dutra.

    ResponderExcluir
  15. Apoio institucional e financeiro a ações terroristas é indadmissível.

    ResponderExcluir
  16. Escrevi no Twitter: O guri é encapetado e a mãe só diz: "Fica quieto, filhinho!", sem lhe dar umas porradas. É a relação do PT com o MST http://bit.ly/421NmT

    Quando os pais são fracos os capetinhas deitam e rolam. Afinal de contas, o MST são votos; e não se deve ir contra o eleitorado, assim pensa o Lula

    ResponderExcluir
  17. Tem meu mais absoluto apoio!Abaixo o narco-comuno-terrorismo!

    ResponderExcluir
  18. Temos que apoiar a CPMI para investigar o MST, movimento de simulação tramada, e quem os financia!

    ResponderExcluir
  19. A LUTA DO MST É LEGÍTIMA ? É LEGAL ? SE NÃO, HOJE TORNOU-SE COM MAIS PODER, MOTIVADO PELO APÓIO INCONDICIONAL DO PT E DO PRÓPRIO PRESIDENTE DA REPÚBLICA. O MST É FINANCIADO POR ONGs, PORTANDO CABE INVESTICAÇÃO DA CPI, ISTO SE A BANCADA DO GOVERNO NÃO USAR DE PRIVILÉGIO IMPEDINDO AÇÕES. MAS ANTES DE TUDO ISTO, CABE OFICIALIZA-LA E ACABAR COM A LAVAGEM DE DINHEIRO, SENDO ESTA, ENTRE OUTRAS, MAIS UM BRAÇO DE ARRECADAÇÃO DO DINHEIRO SUJO DO O PT.

    ResponderExcluir
  20. O MST virou um movimento anarquista, fazem o que bem entendem invadindo e destruindo o direito dos outros. Estou de acordo com a Reforma Agraria, mas que seja feita pelos orgãos responsaveis. Não é necessario que sejam formado grupos para tomarem à força algo que eles "julguem ser area improdutiva". Nosso país é tão grande, o governo poderia dar terra a eles de propriedade da União, sem tirar nada de ninguém, mas acho que o que eles querem é terra perto de centros urbanos mais desenvolvidos, terrinha já pronta para plantar etc. Estou de acordo com a CPMI mas que não termine em pizza porque pizzaé muito bom.

    ResponderExcluir
  21. 100% de acordo! Chega desses autoproclamados intelectuais do capital alheio viverem às nossas custas e ainda nos atacar.

    Assino embaixo.

    ResponderExcluir
  22. Marcos,

    A petição on line está com erro de página de código.

    Aparecem caracteres estranhos no lugar das acentuações..

    Veja se há como regular para 850 (brasileiro, multilingue).

    Em ingles é usado o 437

    ResponderExcluir
  23. Prezado Marcos,

    Estou de pleno acordo com os termos da petição.

    Saudações,

    Mário de S. Araújo Filho
    http://www.panoramablogmario.blogger.com.br/
    http://twitter.com/marioafilho

    ResponderExcluir
  24. Vejo o MST como uma manobra política e mais uma instituição do PT. O movimento é ilegal, não contribui em nada para ninguém.
    Concordo com os termos, Marcos e devemos agir agora, não podemos perder tempo.

    Ana Graña

    ResponderExcluir
  25. 100% De acordo!
    Temos que abrir essa enorme caixa preta que é o MST.
    CPMI já!
    Tânia Guimarães
    (Belém/Pa)

    ResponderExcluir
  26. FORA MST, NÃO SERVE PARA NADA, NÃO PRODUZ NADA.

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. O MST é só mais um braço do grande Frankstein que se transformou os ideais PTistas no país! Simplesmente vergonhoso!

    ResponderExcluir